Trabalho em rede traz avanços para Políticas Informadas por Evidências, conclui live do Veredas

A Roda de Conversa “Evidências para o pós-pandemia: como conectar gestão pública, pesquisa e sociedade civil?”, realizada na na Semana de Inovação da Enap, ocorreu nesta terça (17/11)




A pandemia de Covid-19 tem causado muitas perdas para todos, mas, desde o seu início, pesquisadores têm se esforçado para apontar os melhores caminhos a seguir, criando um “boom” de produção científica no mundo sobre o tema. Nesse contexto, os desafios para o uso de evidências na tomada de decisão também se apresentam cada vez mais urgentes. Esse tema foi debatido por diferentes pesquisadores na roda de conversa virtual “Evidências para o pós-pandemia: como conectar gestão pública, pesquisa e sociedade civil?”, realizada pelo Instituto Veredas nesta terça (17/11), durante a Semana de Inovação, da Escola Nacional de Administração Pública (Enap).


Para Laura Boeira, diretora do Veredas, o trabalho em rede é fundamental para nivelar a produção de conhecimento voltada aos processos decisórios na gestão. Com o objetivo de contribuir com enfrentamento à crise sanitária, o Veredas, junto à Rapid and Responsive Evidence Partnership (RREP), que envolve 15 países, produziu e traduziu respostas rápidas que estão ajudando gestores de diferentes políticas sociais no Brasil.


“Nós tentamos encontrar soluções para problemas sociais complexos. Desde o início, fomos entendendo que seria importante apoiar gestões no estados e municípios para organizar respostas à pandemia. Mapeamos o que já vinha sendo feito no mundo a partir das principais dúvidas dos gestores da nossa rede”, disse. Pesquisadores de países como Líbano, China, África do Sul e Reino Unido contribuíram com essa produção.


Conheça as publicações do Veredas contra a Covid-19


Daienne Machado, diretora de Estudos e Políticas Sociais da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan/DF), apresentou como desafio a necessidade de realizar pesquisas que partam do interesse real da gestão e não somente dos desejos da academia. Além disso, para ela, o conhecimento produzido deve conseguir abrir diálogo de forma didática com gestores e sociedade.


“Precisamos aprender a usar a voz da ciência para promover equidade, desenvolvimento social, para corrigir desigualdades históricas que estão se aprofundando em meio à pandemia. Os pesquisadores precisam aprender a se comunicar melhor, falar para fora, com a sociedade”, disse. Uma das iniciativas da Codeplan foi a produção do Boletim Covid-19, que já está na 31ª edição e sistematizou dados sobre a pandemia para gestores do DF em diferentes áreas.


Conheça o Boletim Covid-19 da Codeplan


Daniel Lopes, da Enap, apresentou o Evidências Express (EvEx), um serviço focado em reunir, sintetizar e fornecer, com qualidade e agilidade, evidências que possam servir de base para o desenho, o monitoramento e avaliação de políticas públicas para gestores federais.


“Nossas soluções são customizadas, variam de acordo com a experiência dos gestores que solicitam as evidências. Com isso, conseguimos entender a magnitude do problema, consequências, soluções e impactos”. Segundo ele, a pandemia “descortinou desigualdades que já existiam e não dávamos ênfase”. As atividades educacionais remotas, por exemplo, evidenciaram o quanto, no Brasil, ainda é necessário fornecer suporte para estudantes extraclasse.


Se você é gestor(a) federal, solicite estudos via EvEx aqui


Um grande desafio para os pesquisadores e as instituições que utilizam evidências é a diferença entre o “tempo da pesquisa e o tempo da gestão”. Em geral, a tomada de decisão requer urgência diante dos problemas sociais enfrentados, enquanto a pesquisa pode ter um tempo mais demorado para qualificar os achados.


De acordo com Daniela Fortunato Rêgo, do Ministério da Saúde e da Rede EvipNet Brasil, “um dos principais problemas da área ainda é a comunicação científica. A população acha que temos certezas e o gestor precisa saber lidar com as incertezas da construção do conhecimento científico”, disse.


Para ela, é necessário criar pontes entre as diferentes áreas que compõem a produção da evidência. “Precisamos integrar os atores sociais das diferentes temáticas e mapear os processos dentro da área da Saúde para que as evidências não entrem em competição com o processo decisório, mas que entrem em união”, disse. O mesmo foi defendido por Jorge Jorge Barreto, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) Brasília, que considera os cidadãos os principais produtores de conhecimento.


Conheça os informes semanais do Ministério da Saúde sobre Covid-19


“A transparência ajuda a reduzir assimetrias e desigualdades. Não dá para produzir [um estudo] se você não conhece as pessoas que vivem os desafios. Uma das alternativas para abordar os problemas é a co-criação dentro da ciência. O principal ‘stakeholder’ é o cidadão. Ele é o grande usuário do conhecimento, não é o governo. Não podemos esquecer o intercâmbio com a sociedade”, disse o pesquisador.


Jorge também apresentou a Rede Covid-End, espaço internacional que une as diferentes capacidades de instituições para dar respostas à pandemia. São 120 membros atuando em cooperação, fornecendo dados, estudos e experiências mundo afora para facilitar a tomada de decisão diante da pandemia.


Segundo ele, é necessário avançar com evidências sobre os impactos socioeconômicos da pandemia. Jorge também destacou a necessidade de as instituições darem “tratamento visual e palatável para as evidências”, com objetivo de gerar mais acessibilidade e pulverizar os conteúdos.


Conheça a Rede Covid-End


O Veredas e seus parceiros estão mapeando organizações que trabalham na área das Políticas Informadas por Evidências no Brasil. O objetivo é criar, em 2021, uma rede nacional, com diferentes agentes de produção de conhecimento, para informar a implementação de políticas públicas e intervenções sociais no país. A Roda de Conversa contou com participação de cerca de 70 pessoas. A iniciativa do Veredas também compõe a programação da Semana da Evidência 2020, evento da América Latina que promove a produção, comunicação e uso de evidências na tomada de decisões de interesse público.


Participe do Mapeamento de Organizações que atuam com Políticas Informadas por Evidências


Ascom Instituto Veredas


Posts Recentes

Arquivo

Siga

  • face png

Instituto Veredas | Brasília | Brasil | 2020

  • Branca Ícone Instagram
  • Facebook - White Circle
  • Branca ícone do YouTube
  • Branca Ícone LinkedIn