Reunião internacional: Veredas defende criação de redes de entidades que atuam com Evidências


Foto: Freepik


“É preciso identificar quem são as lideranças com apetite de evidências e ajudá-las a se conectar com uma rede de produção de conhecimento”, diz Laura Boeira


Entre os dias 22 e 26 de março, o Instituto Veredas participou de mais um encontro virtual do Rapid & Responsive Evidence Partnership (RREP), rede internacional que une 15 países parceiros com objetivo de potencializar o uso de evidências em políticas sociais. O Brasil, que tem representações do Veredas, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) Brasília e da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan/DF), defendeu a importância de mapear e de construir redes de entidades que atuam na área para compartilhar saberes e práticas.


O primeiro debate do encontro trouxe à tona o tema “Teoria da Mudança”, coordenado pela On Think Tanks (OTT), plataforma global dedicada a dar suporte para organizações que atuam na área das evidências. Nos meses de março e abril, a entidade vai ajudar os países parceiros do RREP a traçarem metas que vão servir de referência para as nações até final do ano de 2022.


No segundo debate, a pesquisadora Sandy Oliver, do Reino Unido, realizou uma apresentação sobre institucionalização do uso de evidências em políticas, trazendo dois exemplos de organizações que utilizam evidências em sua tomada de decisão: o Departamento para Desenvolvimento Internacional do Reino Unido, ligado ao governo, e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).


Os times do Brasil, de Burkina Faso e de Uganda apresentaram suas experiências para diálogo com os demais países. Laura Boeira, diretora do Instituto Veredas e representante do time brasileiro, falou sobre a importância de se realizar mapeamentos globais que possam construir e fortalecer redes. “É preciso identificar quem são as lideranças com apetite de evidências e ajudá-las a se conectar com uma rede de produção de conhecimento e de outros tomadores de decisão que partilham essa ética”, afirmou.



Imagem: Registro da reunião do RREP


Já a Plataforma de Tradução de Conhecimento em Burkina Faso tem acesso direto a líderes do alto escalão no Ministério da Saúde do país africano, o que facilita o uso de evidências em decisões políticas. O pesquisador Tougri Gauthier partilhou o quanto a plataforma, situada no próprio Ministério, torna-se uma fonte de informações confiáveis nas discussões políticas.


Outras experiências


O pesquisador Edward Kayongo, de Uganda, apresentou uma abordagem para “enraizar o uso de evidências”. O método envolve três frentes: apoio aos defensores das evidências, desenvolvimento de capacidade e incentivos institucionais, e envolvimento contínuo com os tomadores de decisão.


No terceiro dia, a África do Sul, a partir das experiências trazidas pelo time do Africa Centre for Evidence, destacou a proximidade com os tomadores de decisão, a adoção de incentivos para o uso de evidências e o desenvolvimento de parcerias como fatores que permitiram o fortalecimento institucional.


Laurenz Langer e Promise Nduku, dois representantes do time sul-africano, ajudaram a conduzir debates em subgrupos para elencar os principais desafios e as principais estratégias adotadas por diferentes países ao incorporar o uso de evidências no cotidiano das políticas sociais.


Como criar pontes entre governo e instituições das Evidências?


A estratégia-destaque encontrada, após os debates entre os países envolvidos, foi investir em núcleos de evidências e em knowledge brokers (pessoas que ajudam a costurar a demanda e a oferta de evidências entre instituições), dentro dos governos, que providenciem evidência de forma rápida para as equipes tomadoras de decisão.


Coalizão pelas Evidências no Brasil


Com o objetivo de fortalecer a área das evidências e da tradução de conhecimento no Brasil, o Veredas, junto à Fiocruz Brasília, à Codeplan/DF, ao Ministério da Saúde e à Escola Nacional de Administração Pública (Enap), vem articulando, desde o final do ano passado, uma rede de instituições no país que atuam na área. O objetivo é mapear, fortalecer capacidades e estabelecer parcerias entre organizações e núcleos de evidências para políticas no Brasil.


Laura explica que o aprendizado em rede traz melhorias e efetividade para todas as instituições. “A Coalizão pelas Evidências vai possibilitar o aprimoramento dos produtos de tradução de conhecimento e a expansão para diferentes políticas sociais, unindo esforços entre pesquisadores e tomadores de decisão", disse. Estão agendadas, ao longo de 2021, reuniões para capacitar e articular a metodologia de trabalho entre as instituições parceiras da Coalizão.


Conheça as publicações do Veredas


Ascom Instituto Veredas


Posts Recentes

Arquivo

Siga

  • face png